• Av Juriti, 144 - Moema - São Paulo
  • (11) 5053-2222

Teste Egométrico

Estuda a variação, com a idade,

da resistência à massagem do ego.

A Sociedade Brasileira de Clínica Médica em sessão solene para Homenagear aos Grandes Nomes da Medicina, realizado em 15 de junho de 2006 conferiu-me essa distinção. Embora tenha sempre seguido, com rigor, o sábio gnoma: fale apenas se a sua mensagem for mais forte do que o silêncio diante das circunstâncias que envolvem esse momento sinto-me obrigado a romper esse preceito.

Quatro são os motivos que me levam a essa atitude. O primeiro deles é o grande prestígio da sociedade que está conferindo esse preito. O segundo é a oportunidade escolhida: a grandiosidade da solenidade de abertura de um Congresso Internacional com seis mil participantes. A terceira justificativa é estar junto a uma plêiade de colegas de primeira linha dos quais uso o nome do Prof. Bussamara Neme, talvez o decano desse grupo e que foi meu professor na Faculdade de Medicina da USP, para congratular-me com os demais homenageados. A quarta razão é ser indicado como um dos Grandes Nomes da Medicina. Nesse ponto o ego foi atingido em cheio. Foi fulminante!

Eu não sabia que massagem no ego pudesse causar tão forte emoção, mas os professores Antonio Carlos Lopes e Alexandre Gabriel Jr. sabiam pois, programaram essa homenagem em oportunidade que estariam presentes clínicos e cardiologistas de alto gabarito para atender a qualquer urgência!

Todo esse preâmbulo é para evidenciar o quanto estou comovido e assim externar minha profunda gratidão.

Diante dessa experiência que estou vivendo e a título de reconhecimento sugiro ao Dr. Alexandre que proponha a um de seus orientandos que pesquise um novo exame para estudar as variações com a idade da resistência à massagem do ego e indicar a faixa de segurança nos diversos níveis de longevidade. É o que se poderá chamar de Teste Egométrico, nada tendo a ver com a ergométrica de pleno domínio dos senhores, no qual nós cirurgiões somos menos versados.

Como já estou entrando na faixa de risco é prudente parar. Aqui fico!

Meus profundos agradecimentos.

Irany Novah Moraes